Havaianas inicia venda de roupas antes da Copa

A Alpargatas vai começar a vender roupas Havaianas até junho em lojas da marca que já comercializam suas sandálias. Inicialmente a projeção para a chegada da linha às prateleiras era o segundo semestre deste ano. “Queremos começar a vender até a Copa do Mundo, para aproveitar a data”, afirmou Marcio Utsch, presidente da companhia. A Havaianas tem 343 lojas no Brasil.
Não é o único investimento no segmento de vestuário que a Alpargatas fará em 2014. Segundo Utsch, a companhia deve exercer o direito de compra de mais 30% da Osklen. Em 2012, adquiriu 30% da grife de moda, com opção de comprar outros 30% este ano. “A parceria tem sido positiva, não tem porque não exercer [o direito]“, disse.
Em relatório de resultados publicado na sexta-feira, a empresa informa que no segundo trimestre de 2014 será concluída a aquisição da primeira fatia de 30% da Osklen, “quando, então, a empresa decidirá sobre o exercício da opção de compra de mais 30%, totalizando 60% do negócio”.
A companhia registrou um lucro líquido de R$ 72,7 milhões no quarto trimestre de 2013, alta de 9,7% ante igual período do ano anterior. A receita líquida somou R$ 964,9 milhões no intervalo, o que representou uma alta de 15,3%.
Houve queda na margem bruta de 2,9 pontos percentuais, para 38,9% no quarto trimestre. No ano o recuo foi de 0,8 ponto, para 41,5%. “Houve um aumento na participação de artigos esportivos de 36% para 43% das vendas no mercado interno entre 2012 e 2013. Esses produtos têm menor margem, o que acaba afetando o índice”, disse Utsch. O impacto do câmbio no custo dos importados também afetou o indicador.
No país, a venda (em volume) de Havaianas cresceu 1,4% em 2013 (12,4% de outubro a dezembro). Em artigos esportivos subiu mais, 16,1% e 9,8%, respectivamente.
O relatório mostra ainda que preços médios mais altos em sandálias e artigos esportivos e incremento nos volumes, principalmente de calçados esportivos, foram responsáveis pelo aumento de 11,8% na receita líquida no Brasil em 2013, para R$ 2,4 bilhões. Considerando as operações no exterior, a receita consolidada subiu 13,9%, para R$ 3,4 bilhões.
Houve um reajuste de 4% em sandálias em maio de 2013 e de até 20% (de acordo com a marca) em artigos esportivos. Até o terceiro trimestre, a empresa havia registrado problemas na produção da Havaianas, com ritmo maior de fabricação de modelos mais caros, em detrimento dos modelos de menor valor. E a empresa não conseguiu atender todos os pedidos de produtos mais básicos. Segundo Utsch, essas questões foram resolvidas, com o início da produção na fábrica de Montes Claros (MG) após outubro de 2013.

(Fonte Valor Econômico, acesso em 17/03/2014)


Postado em 17/03/14 às 18:56

« Voltar